20/01/2009

Uma introdução (& The Black Keys)

Ora como já havia sido dito pela Ana, os donos deste blog encontram-se ocupados com diversas coisas, pelo que dar a este blog o devido tempo é difícil. Como tal, passaram-nos o testemunho (ou, melhor dizendo, pediram reforços) e -como com o novo sangue vêm novas ideias - tentaremos, mantendo a música ainda como primeiro plano, incluir também outras áreas das artes afectadas por esta. Acima de tudo, espero que opinem, contribuam, e que as nossas divagações pelo mundo musical vos entretenham.

Feita esta pequena introdução, passemos ao que interessa - música. Achei por bem, ainda num registo mais pessoal, apresentar-vos uma das bandas que mais me tem surpreendido desde que os descobri.

O seu nome é The Black Keys, um duo blues-rock composto por dois rapazes com uma dinâmica guitarra - Dan Auerbach - e persistente bateria - Patrick Carney.

Familiar? Talvez, pois esta receita repete-se numa das mais badaladas bandas da actualidade, tendo até os dois grupos surgido no mesmo ano - The White Stripes, cuja fama ultrapassa, e bem, a dos malfadados Black Keys. Contudo, é certo e sabido que fama não quer dizer qualidade, e em termos de qualidade The Black Keys estão num nível tão bom - ou melhor - quanto os seus "rivais".

As músicas são intensas, um libertar de energia, as melodias ásperas e fortes com um toque de punk-rock, mas a essência blues está toda lá, resultando numa explosão de fulgor contagiante e músicas que são um deleite tanto para os amantes do rock, como os de blues.

Até ao momento contam com 5 albuns - tendo o último sido lançado em 2008, Attack & Release, produção de Danger Mouse, um nome bem conhecido devido à sua banda Gnars Barkley, responsáveis por um dos maiores êxitos de 2007, Crazy - e 2 EP's, e, infelizmente, apesar de terem mantido uma carreira estável, com um consistente número de fãs, esta é uma banda ainda caída na obscuridade.
Um nome a anotar e conhecer.

For Your Consideration:




(The Black Kyes - Just Got To Be)

Desta maneira me despeço, peço desculpa pela rudeza deste primeiro post, mas a fasquia é alta, decerto para a próxima será melhor.

Obrigada, Rita.

2 comentários:

Ana Luísa disse...

Embora The White Stripes sejam uma banda e tanto, The Black Keys (curiosa este antagonismo do preto e branco)são, a meu ver, muito superiores. No fundo, possuem, como disseste, uma energia incrível que se desfaz em ritmo e creio que é a mistura de blues e rock que lhe concede aquela tonalidade tão saborosa para fazer o gosto ao ouvido.

Anónimo disse...

The Black Keys têm uma outra essência, estão a cima de The White Stripes, sem dúvida. Continuem assim, com este vosso blog, está genial.